O Conceito

A Quinta da Cruzinha com cerca de 10 ha, localiza-se na aldeia de Mós do Douro, concelho de Vila Nova de Foz Côa, possui atualmente cerca de 5 ha de vinha, 1,5 ha de olival, 0,5 ha de pomar e amendoal e a restante área está a monte. A Qtª. da Cruzinha é complementada por mais duas parcelas de terreno, o Sambado, que dista cerca de 450m da Qtª. da Cruzinha e possui 1 ha de vinha e 0,5 ha a monte e o Sobradais, situado a cerca de 3 Km da Qtª. da Cruzinha com 3,3 ha a monte.

Tal como a maioria das pequenas empresas do sector dos vinhos nacionais, a Qtª. da Cruzinha representa a dinamização que o sector conheceu com o chamado Vinho de Quinta ou também conhecido por Vinho do Produtor ou ainda por Vinho do Lavrador.

Na Região Demarcada do Douro, a ideia que surge, é a de que a maioria desses vinhos não provém de produtores novos, mas sim de velhas casas agrícolas. Mesmo os vinhos que são de novos Produtores, são feitos com uvas de antigas Quintas do Douro, destes ou doutros proprietários agrícolas a quem são compradas.

O principal produto da Região Duriense é o Vinho do Porto e estes Lavradores que agora surgem como produtores de Vinhos de Mesa há muitos anos que produziam uvas para o Vinho do Porto.

As empresas idênticas à Quinta da Cruzinha são caracterizadas por, para além das pequenas produções, pelas pequenas estruturas que compõem as empresas, muitas vezes com acumulação de funções, operacionais e comerciais, dos seus colaboradores.

Como em muitas outras empresas, também na Quinta da Cruzinha o negócio está muito centrado numa pessoa, ou num núcleo restrito de pessoas, muitas vezes familiar.

Neste caso, pode-se até dizer, que a empresa nasceu da Visão e da Paixão de um homem, o Engº Carlos Macieira de Castro, atual Gerente da Quinta da Cruzinha e pertencente à 5ª geração da família Macieira proprietária da quinta.

O local possui uma pequena adega, uma casa de campo em madeira e uma pequena casa original em pedra de xisto que foi recuperada, juntamente com a maior parte dos muros de pedra dos socalcos que no seu todo constituem um potencial turístico imenso e que deverá fazer parte do futuro da nova empresa Douro Cruzinha Valley – Agricultura e Enoturismo, Lda.